15.12.08

Imagens



Há alguns dias assisti “Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian”. Um excelente filme, mais uma vez a Disney conseguiu retratar com precisão o universo de Nárnia criado por C.S. Lewis, toda a “aura” narniana retratada e como pude perceber o cristianismo de Lewis ficou evidente também.


Algumas cenas do filme me marcaram bastante, e quero compartilhar algumas reflexões...


A primeira aparição dos reis de Nárnia é graças a uma briga de Pedro, o mais velho deles, um adolescente que em Nárnia chegou a ser adulto (pra quem não se lembra a ultima cena de do primeiro filme, são os reis já adultos em Nárnia) e na Londres “real” se porta como se fosse adulto, mas é apenas um adolescente, fica claro nessa longa cena que Pedro se tornou, arrogante, insensível e “tirano”, com tirano quero dizer alguém que impõe seu modo de viver e apenas “dá ordens”, isso fica ainda mais transparente quando já em Nárnia, ele apresenta-se para um Narniano como Pedro, o Magnífico, fica claro que ele ficou obcecado pelo poder e conforme o filme passa e sua insensatez pelo poder mata vários narnianos.


A lição que tiro destas cenas é que sem Aslam, ou seja, Jesus Cristo, o poder invariavelmente corrompe; tanto em Nárnia ou no mundo real, porque nos 2 mundos somos nós mesmos sempre; nos tornamos fracos, egoístas e isso sempre causará sofrimento a nós e aqueles que nos cercam, que confiam em nós.


Logo após a grande cena da morte dos narnianos, no castelo dos telmarinos, Pedro e Caspian estão discutindo sobre quem é o culpado pela “grande perda”, aqui fica claro que quando somos reis “sem Aslam” sempre culpamos os outros por nossas falhas não temos coragem de assumir nossos próprios erros. Quando as pessoas se tornam como Pedro, ficam insensíveis e sempre buscam uma resposta que certamente será uma resposta “racional” e que visa eximi-lo da culpa.


Enquanto Pedro é o “rei arrogante” a pequena Lucy é a “rainha da esperança”, ela sabe que Aslam é o verdadeiro rei de Nárnia ”que sem ele nada se pode fazer”.


Que belo contraste!


Susan apesar de ter sido adulta em Nárnia, permanece “como criança”, mesmo que tenham se passado mais de 100 anos em Nárnia (ou seria melhor dizer, vida cristã?), ela sabe que Nárnia é para os pequenos.


Uma imagem que me chamou muito a atenção é a cena do “templo da Mesa de Pedra”, que cena triste, quando Caspian e Pedro entram na grande sala onde está a mesa de pedra, onde Aslam se entregou pelo jovem Rei, e ressuscitou, agora é um “templo” com apenas imagens, a vida real de Aslam e dos reis de Nárnia, senhor Tumnus, a grande batalha com a Rainha do gelo, eram apenas imagens, para os narnianos eram agora apenas histórias do passado. Como isso acontecesse conosco!


Trocamos o Deus verdadeiro (Aslam) por imagens, impressões sobre Ele, trocamos o Filho Encarnado, Criador e sustentador do Universo, por imagens e memórias. Nos esquecemos que podemos e devemos nos relacionar com o que é realmente Verdadeiro, porque, por mais louco que pareça ser, Deus é real, Jesus é real e eles estão vivos, não são histórias para serem lembradas. O Nosso Redentor VIVE! Não devemos nos conformar com imagens e impressões, devemos “correr” atrás D´ele, com toda a nossa força, não podemos perder isso de vista. Deus é VIVO, está Vivo e continuará vivo. Mesmo que por um breve momento fique em silêncio, mas devemos buscá-lo.


Depois da vergonha da derrota Caspian e Pedro reconhecem que precisam da esperança de Lucy (Lucy logo no começo do filme “viu Aslam”, mas seus irmãos acharam que foi uma visão ou invenção de sua cabeça, de novo, que tolos!), e deixam que Lucy vá atrás de Aslam, nesse ultimo lugar que o tinha visto, quantos não precisam hoje deixar de lado o fato de serem adultos e se tornar como “crianças” e correr com toda sua força até Aslam?


Quantos e quantos perderam a esperança e só vêem a derrota iminente?


Mas a rainha Lucy mostra que apesar da aparente derrota final estar por perto, quando Aslam chega tudo muda, Até as árvores ganha vida.


Do que precisamos então?


Precisamos nos tornar como crianças e ter esperança, buscar Aslam no meio do bosque que o encontraram, lembrarmos de onde o vimos pela última vez e voltar, porque, certamente ele estará nos esperando.


E quando Aslam vêm a vitória é certa, tudo muda, porque Ele é o Criador, o Deus Encarnado e que nada, absolutamente nada escapa ao seu controle! Basta uma Palavra de Aslam e até “ás águas lhe obedecem” e tudo será como Ele planejou.


Como se vê no filme Aslam não tardou, os reis que não o procuraram. E isso fica claro no diálogo de Aslam e Lucy, o que aconteceu é passado, mas com Ele, Aslam, o futuro certamente será bem diferente.


E assim é a vida cristã, muitas vezes tomamos decisões quando Aslam está quieto e nos machucamos e também machucamos aqueles que amamos, mas o que Aslam (Jesus Cristo) quer é, que antes de qualquer “guerra” ou pequena decisão, que o busquemos, porque quem é o solucionador de qualquer coisa é Ele. Quando confiamos Nele a situação muda, porque entendemos seus propósito e objetivo.


Que achemos “Aslam” e que Ele nos conduza pelo caminho da esperança e com Ele somos mais que vencedores.


A Deus toda a Glória.


23.10.08

JC em Notícia

Matéria que contém citação sobre a Comunidade JOVENS CRISTÃOS do Orkut.





A Deus toda Gloria!

3.10.08

Marcas

Estava me lembrando, antes de dormir, sobre o sinal que representa a Jesus Cristo, em LIBRAS (Linguagem Brasileira de Sinais) e o sinal é representado pelas marcas das mãos do Cristo.


Meditando sobre as marcas, me deparei com algo que foi objetivo, pelo menos para mim, e que existe nas marcas um duplo objetivo.


E estas devem ser uma lembrança inconfundível para o cristão.


Porque duplo objetivo?


Muito “simples”...


A cruz era o modo romano de executar infratores, ou melhor, bandidos.


A marca de Cristo é o sinal de morte, porque Ele pagou o preço que NÓS deveríamos ter pagado. Pois nossa condenação tinha peso ETERNO. Éramos “eternos condenados” se Jesus não tivesse morrido em nosso lugar.


Nossos pecados tinham peso eterno, mas Cristo na Cruz ao morrer, pagou o preço pela nossa “absolvição” e esta assim como a condenação é eterna.


Em Cristo temos perdão eterno.


As marcas de Cristo também são um memorial de VIDA...


Mas você pode me perguntar como assim, morte e vida???


Vou explicar...


Muito “simples” ver isto também, Jesus após sua ressurreição foi reconhecido por alguns de seus discípulos graças às suas marcas, (lembrem-se da passagem dos discípulos e quando Jesus parte o pão, eles o reconhecem, isso creio eu é por conta das marcas – Lucas 24: 30, 31) as marcas dos cravos e a ferida do lado.


Sendo assim, as marcas de Cristo, nos lembram também, que RESSUSCITAREMOS com Ele, “...e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade...” (Ef. 1:5); “Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição...” (Rm. 6.5)


As marcas são vida, porque todo aquele que já reconheceu a Cristo como SENHOR e SALVADOR “...passamos da morte para a vida...” (1 João 3:14) “estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou JUNTAMENTE com Cristo (pela Graças sois salvos), e nos RESSUSCITOU JUNTAMENTE com ele, e nos fez assentar nos lugares celestiais, EM Cristo Jesus...”(Ef. 2.5,6 – Ênfase Minha).


As marcas da cruz criam em nós uma expectativa santa. O dia em que seremos arrebatados e estaremos eternamente com nosso Senhor e Salvador, louvando sem cessar, “Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos, toda terra está cheia de sua glória” (Is. 6.3), ou como diz a Musica “Tremendo e Santo” da Cassiane “Digno é o Cordeiro de Deus que foi morto e reviveu”...


As marcas da cruz são um memorial para nós, porque mostra quem nós somos sem Cristo (eternos condenados, mortos em nossos pecados – Ef. 2:5). Mas também nos enche de gozo e alegria, pois aqueles que estão em Cristo que à semelhança de sua ressurreição, nós os que cremos, também RESSUSCITAREMOS com Ele no “Grande dia do Senhor”. Elas nos motram como somos dependentes do AMOR de Deus para conosco, porque para termos “vida” Ele (Jesus) precisou morrer.


As marcas nos fazem lembrar que tudo nessa vida é passageiro, carro, casa, dinheiro, status, prestígio, tudo isso morre. Mas as marcas nos mostram também que AMOR, SERVIÇO, GRATIDÃO, REFRIGÉRIO, PAZ são ETERNOS.


As marcas nos lembram que Jesus viveu uma vida de renúncia e serviço, que andou com pecadores, “impuros”. A marca do Cristão é amor, serviço e renúncia.


Que o “dono das marcas” nos lembre continuamente quem somos e qual é a nossa esperança Nele.


Em nome de Jesus.


Amém.


A Deus toda a Glória.

27.7.08

Jeremias - Programa Consulta ao Doutor - Temas Bíblicos

Esse material é esboço dos meus estudos para o programa Consulta ao Doutor Temas Bíblicos que foi ao ar, dia 27 de julho de 2008.

JEREMIAS

Data do Chamado:

Décimo Terceiro ano do Rei Josias,

Ano 626 a.C.

Duração:

40 anos

Termina provavelmente logo após 587 a.C., com a queda total de Jerusalém...

Personalidade:

Jeremias é sem dúvida o profeta que mais expressa sua personalidade em seus oráculos, escritos...

Passagens onde ele mostra ira, Jeremias 18 por exemplo...

Em outras a profunda melancolia, devido à corrupção do estado Isarel...

Ele é conhecido como o profeta chorão, pois diversas vezes ele chorou o pecado de Israel... Jeremias 4:19 ss

Jeremias foi uma pessoa triste...

Pois foi o profeta que foi instrumento de Deus para mostrar o fim daquilo que era mais importante para o povo de Israel, a “cidade santa e o santo templo”...

Foi proibido de se casar...

Amaldiçoou o dia em que nasceu... (Jeremias 15:10 e 20: 14 até 18)

Foi proibido por Deus de interceder pelo povo diante Dele... caso o fizesse Deus não responderia sua súplica...

Elementos da Chamada do Profeta:

A recusa:
Sou uma criança – O termo pode ser traduzido por criança ou por um jovem entre os 10 a 20 anos de idades.

Curiosidade:

Jeremias diz que é muito novo pelo fato de ele conhecer a história dos profetas antes dele, como Isaías, pois estes foram chamados por Deus entre os 20 e 30 anos...

A resposta de Deus...

Te escolhi antes de que fosse formado...
Deus diz a Jeremias que aquilo o que ele profetizasse, para destruir ou para erguer assim seria...

Isso é sinal de que Deus estaria com Jeremias em todas as situações de sua vida.. e ao ler o texto podemos ver isso...

A primeira visão:

A primeira visão que Deus dá a Jeremias é para confirmar a chamado do profeta...

Vara de amendoeira...

Aqui existe um trocadilho entre a palavra “Amendoeira” e “Velo” a minha Palavra

Amendoeira “shacked” e velar “shocked”

A Amendoeira é a primeira árvore a despertar no primavera, ou seja, Jeremias seria o agente revelador da vontade de Deus para Isarel... Assim como a amendoeira brota suas flores, o juízo de Deus viria sobre a nação...

A Segunda Visão de Jeremias:

O que prova que o juízo de Deus viria sobre a nação, pois Deus lhe mostra “uma panela ferver com a boca virada para o Norte”... Isso quer dizer que o agente de Deus para juízo de Israel viria do Norte...

Jeremias profetizou que o juízo de Deus era invariável...

A profecia sempre é condicional, ou seja, se Israel se voltar do seu mau caminho, Deus não iria destruir Israel... Porém, caso eles não se desviarem dos seus maus caminhos, o juízo é inevitável...


Profecia: Cinto – Jeremias 13

Israel é representado por um Cinto de linho...

Deus diz ao profeta pra comprar um cinto de linho e lavá-lo até o rio Eufrates e escondê-lo numa fenda, porém ele não deveria molhar...

Após determinado tempo, Deus pede que Jeremias volte e busque o cinto...

Quando Jeremias pega o cinto, ele está apodrecido...

Um cinto de linho: Isto é, confeccionado com um tecido valioso. A ordem de não mergulhá-lo em água manifesta a intenção de evitar todo contato com tudo aquilo que venha a deteriorá-lo. E essa foi a idéia original de Deus, de o povo ser exclusivo para Deus, e que ele (Israel) não deveria se misturar com os deuses dos povos vizinhos para não se contaminarem e se “apodrecerem”...

O cinto é o meio de mostrar que o cativeiro será o meio de correção de Israel...

A podridão mostra que Israel ficou imprestável, sem proveito ou uso... E que por isso Deus iria corrigir a nação através do cativeiro...


Quais eram os motivos da condenação/ correção de Deus com relação a Israel

A prostituição em que Israel se tornou... Deus declara que os sacerdotes se prostituíam nos locais de adoração a Deus...

Profanaram o templo, colocando imagens de Baal no templo...

Os filhos de Israel estavam queimando seus filhos a Moloque... um deus pagão que exige sacrifícios de infantes...

O estado de depravação de Israel é tanto, que Deus diz que o povo se “esqueceu” de Iavé...


Os reis que estavam em Israel durante o período da profecia de Jeremias:

Josias – reinou durante 30 anos (638 – 608 a.C.) - tentou promover a restauração da relilgião de Israel...

Jeocaz – durou apenas 3 meses no trono, pois foi deposto pelo imperador Neco...

Jeoaquim (Eliaquim) - Reinou durante 10 anos – reinou entre 607 e 597 a.C., seu reinado vale destacar, pois foi durante seu reinado que ocorreu a Batalha de Carquemis, quando o Egito liderado por Neco, foi derrotado pelo imperador Nabucodonosor. Este fato é importante, pois o domínio do Oriente Próximo (ou Ásia Menor) passou dos egipicios para a mão da Babilônia.

Joaquim – reinou também durante apenas 3 meses, e por conta da rebelião de seu pai, se rendeu a Nabucodonosor e foi levado cativo para Babilônia.

Zedequias, foi nomeado por Nabucodonosor, foi rei durante 10 anos, de 597 a 587, quando Jerusalém foi destruída, pois no fim de seu reinado que ele tentou ir contra Nabucodonosor e se juntou ao Faraó Hofra, com isso Nabucodonosor cercou Jerusalém e a destruiu completamente...


Promessas de Deus para o povo:

Deus dia ao povo através de Jeremias qual seria o tempo do cativeiro,

Ele duraria 70 anos...

Com isso Deus através de Jeremias incita o povo a crescer e se multiplicar no cativeiro... Pois deus ao fim desse tempo, traria seu povo de volta do cativeiro...

Jeremias como profeta de Deus também prega sobre o Remascente, ou seja, aqueles que não se dobrariam ao Deus da Babilônia... e isso é prova graças ao profeta Daniel...


Deus também disse que Jeremias não iria ver a destruição de Israel, e isso aconteceu de fato, pois enquanto os exércitos babilônios invadiam a Jerusalém, Jeremias estava trancado na prisão...

Morte do Profeta:

Não existe nenhum fato a respeito da morte do profeta.. o que o seu livro diz é que ele foi obrigado a ir para o Egito... apenas isso...

11.7.08

Programa Muro - Dia 10/07/08

Galera...
Só um texto basico....

Comente sobre o programa depois vou colocar o que foi dito lá no programa para comentarmos melhor...

E Claro...
Lembre-se

A deus toda a Glória!

7.7.08

Foi por você

video

Video feito a partir de uma meditação que dei em um Orkontro da Comunidade Jovens Cristãos do Orkut.

Tentei ilustrar o que Deus é e foi capaz de fazer por cada um.

A Deus toda a Glória.

19.6.08

Breve Reflexão sobre 1 Coríntios 12: 12 ss

1 Cotíntios 12: 12 em diante

Quando a Biblia fala, sobre os membros "que possuem menos honra" a esses Deus deu MAIOR honra, pelo fato de que o cabeça está sendo glorificado no corpo. O cabeça (que é Jesus Cristo) é lembrado pela atitude do corpo, é lembrado pelas realizações do corpo, Deus nos honra em Cristo para que Ele mesmo seja glorificado, porque assim nós O glorificamos e aqueles que nos conhecem também reconheçam a Deus e também O glorificam, ou no mínimo, o reconhecem.

Devemos mostrar Deus em nossas vidas, porque quando mostramos não precisamos falar nada, pois o que fazemos tem mais força do que aquilo que falamos.

A unidade do Corpo não é estabelecida pela igualdade, pelo contrário, é estabelecida pela diferença (unidade mesmo na diversidade), pois nas diferenças é possível reconhecermos que É necessário dependermos uns dos outros, quando reconhecemos nosso estado "falho", sabemos que precisaremos de ajuda e em algum momento ajudaremos alguém, isso quando acontece faz-nos crescer, aprendemos que com as diferenças podemos crescer com propósito definido. Pela justa operação/funcionamento de cada parte, cada um quando faz a sua parte promove o crescimento do próximo.

Claro que quando fazemos nossa parte esperamos que os outros façam a dele, porém a função de mostrar que cada deve fazer a sua parte, não é do membros, mas do Cabeça, que como já disse é Jesus Cristo. Nós membros do corpo somos responsaveis por realizar e não por gerenciar, o que fazemos depende da "ordem" do Cabeça, a nós foi dado apenas o direito de fazer, e como acontece no corpo humano (que esteja em plena saúde) não existe a possibilidade de não realizar...

Que O Cabeça/ Jesus Cristo nos auxilie na tarefa de realizar...
Que como bem sabemos é "ir por todo o mundo e pregar o Evangelho a Toda Criatura, ENSINANDO-AS tudo o que Cristo nos ensinou e tem ensinado e BATIZANDO-AS EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO.

Em nome de Jesus. Amém

4.3.08

O diabo é bambi

Email que recebi tempos atrás....


E Deus fez a mulher...
Tava indo tudo tão bem...
E Deus fez a mulher...
E houve harmonia no paraíso.
O diabo vendo isso, resolveu complicar.
Deus deu a mulher cabelos sedosos e esvoaçantes.
O diabo deu pontas duplas e ressecadas.
Deus deu a mulher um corpo de Barbie.
O diabo inventou a celulite, as estrias e o culote.
Deus deu a mulher músculos perfeitos.
E o diabo os cobriu com lipoglicerídios.
Deus deu a mulher um temperamento dócil.
E o diabo inventou a TPM.
Deus deu a mulher um andar elegante.
O diabo investiu no sapato de salto alto.
Então Deus deu a mulher infinita beleza interior.
E o diabo fez o homem perceber só o lado de fora.
Mas que droga !!!
Só pode haver uma explicação para isso:-















O diabo só pode ser viado !!!

3.3.08

Vaso do Oleiro

JEREMIAS 18: 1-11 - O Vaso do Oleiro

1. A PALAVRA do SENHOR, que veio a Jeremias, dizendo:
2. Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.
3. E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas,
4. Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.
5. Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
6. Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.
7. No momento em que falar contra uma nação, e contra um reino para arrancar, e para derrubar, e para destruir,
8. Se a tal nação, porém, contra a qual falar se converter da sua maldade, também eu me arrependerei do mal que pensava fazer-lhe.
9. No momento em que falar de uma nação e de um reino, para edificar e para plantar,
10. Se fizer o mal diante dos meus olhos, não dando ouvidos à minha voz, então me arrependerei do bem que tinha falado que lhe faria.
11. Ora, pois, fala agora aos homens de Judá, e aos moradores de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Eis que estou forjando mal contra vós; e projeto um plano contra vós; convertei-vos, pois, agora cada um do seu mau caminho, e melhorai os vossos caminhos e as vossas ações.


Anos atrás fiz uma meditação sobre esse texto de Jeremias e nos últimos dias Deus te me feito lembrar dela... Por isso resolvi meditar sobre esse texto novamente... O texto original que escrevi, estava em um site que não existe mais....
Então vamos lá...

A primeira coisa que me chama a atenção é o verso 1, Palavra do Senhor que veio... é interessante pensar que quando se é “profeta de Deus” é Deus quem fala ao homem e não o contrário... Deus está preocupado em falar com seu povo, por esse motivo, em momentos especiais na vida de Israel ele chamou profetas para que anunciassem os seus decretos...

No verso 2, Deus diz onde será o local que Deus irá falar com o profeta, assim, Deus tinha algo de especial para falar com o profeta, era um lugar conhecido do profeta, porque Ele diz casa do oleiro... não diz onde ou qual oleiro... Mas Jeremias sabia qual era o lugar.

Em seguida vemos Jeremias cumprindo com o que Deus disse, aqui vejo um detalhe interessante, aquele que anda com Deus obedece, não questiona, simplesmente faz o que Deus pede, aqui cabe uma pequena meditação para nosso dias, somos tão questionadores, duvidamos, exitamos em cumprir o que Deus nos pede, a começar pelo que está na Sua Palavra, pior ainda quando Deus fala “ ao coração” arrumamos mil desculpas, aí me pergunto, a quem temos servido a Deus “ ou as nossas entranhas”, desejos e aspirações.

Quando Jeremias chega ao lugar ele vê o oleiro trabalhando, estava esculpindo um vaso, enquanto ele trabalhava no vaso, o vaso “se defez”, por sua própria qualidade de material, ele se quebrou, Quero destacar algumas coisas aqui, em primeiro lugar o vaso é feito de barro, que é a mistura de pó da terra e água, quero fazer uma simples analogia, a Bíblia nos diz que fomos feitos do “pó da terra”, creio e o texto indica que Deus está falando a respeito do povo de Israel, mas o interessante é que Deus nos lembra de quem somos nessa simples passagem, pó da terra, nos nossos dias e nos dias do profeta “pó da terra” NÃO TEM VALOR ALGUM, é a mesma coisa que nada, pó da terra é sujeira, algo inapropriado, sem qualidade. Mas o barro para se tornar um vaso são necessários, dois ingredientes além do pó da terra, à Água e o Oleiro, a Bíblia usa diversas vezes a figura da Água para fazer alusão ao Espírito Santo, e isso claro em Atos, quando o Espírito de deus é derramado sobre os que estavam no cenáculo, Deus derramou da Água Viva sobre aquelas vidas e partir de tal dia, “todos tinham tudo em comum, no partir do pão, na comunhão e nas orações”. O que trás a unidade para a Igreja nos dias de hoje deve ser o Espírito, não pode ser programa de crescimento, retiros, reuniões sem propósito, o que trás a unidade é o Espirito, por isso que Jesus ora para que fossemos um, “assim como eu sou contigo”, a água (Espírito) é a única coisa capaz de nos unir, porque assim como grãos de areia somos indivíduos de diferentes características, seja personalidade, caráter, “teologia que adota de forma pessoal”, isso se deve porque Deus nos criou assim, como seres únicos para que o poder Dele pudesse ser visualizado através de nós, porque muitas vezes nos pegamos “como posso ser assim, e mesmo assim Deus me amar” ou como posso me relacionar com pessoas tão diferentes... Muito simples, Deus quis assim...

Um outro detalhe interessante é que o oleiro escolhe um tipo de barro com qualidade inferior, e ele o faz isso de modo consciente, porque digo isso, porque o oleiro não desiste do barro, mas do mesmo barro que se defez ele faz um vaso, ou seja, mesmo o barro sendo ruim nas mãos do Oleiro, Ele é capaz de fazer algo bonito e com propósito, e assim é conosco, Deus nos fez para o louvor da sua glória, nos uniu com um propósito, nos fez com um objetivo...

Ser parte de um todo, estar ligado a outros com um objetivo, ser algo pro louvor da Glória do “Oleiro” que fica claro no texto que o oleiro é o próprio Deus e que o barro que se tornou vaso é o povo escolhido de deus, naquele momento o povo de Israel, mas que também nos serve hoje... Não importa quem você é, mas sim que Deus o fez e o colocou num lugar com objetivo, ser para o Louvor da Glória Dele, Não para sua própria Glória, vivemos num mundo onde o importante é ser destaque, com Deus a coisa é um pouco diferente, você só será capaz de ser alguém quando estiver ligada ao corpo (vaso). Não importa em que parte do vaso você está, se na parte interna, na base, na boca, onde quer que seja, você é parte importante para o todo, na verdade, você é parte essencial do vaso, o vaso é vaso porque você está nele, e Ele só é completo quando você está nele. Você só se encontrará quando fizer parte desse vaso, que é a Igreja de Jesus Cristo espalhada pelo planeta... Por isso que digo não importa quem você é, ou onde você está, importa é ser Igreja, mostrar que Cristo nos une e nos fez com um propósito e que nada e nem ninguém, nem nós mesmo, poderemos mudar isso...
Outro fato curioso desse texto é o oleiro, quando ele está trabalhando no seu vaso, ele empenha todo o seu ser nesse vaso, porque os pés são responsáveis para que a roda esta girando sem cessar, as mãos dão forma, moldam o vaso, sua visão está focada no vaso e todo seu intelecto está preso ao vaso, em fazer o melhor. O Oleiro de nossas vidas é capaz de nos dizer, você é o melhor que pude fazer, Ele não diz isso com base em nossos erros e falhas ou características físicas, não Ele vai além, Ele nos olha através de seu amor, bondade, cuidado, zelo e vê além dessa capa que criamos de nosso ser “impecável”, ele nos olha e diz, “ e viu tudo o que tinha feito e era bom”... e como o texto diz de Jeremias “conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.”

O texto continua com uma advertência para nós,

Que precisamos nos manter unidos, assim como o vaso, porque a promessa de Deus foi feita ao povo de Israel e não aos indivíduos, enquanto ficarmos em unidade, sermos Igreja de Deus nesse mundo, certamente Deus nos abençoará, momentos difíceis teremos sem duvida, mas o oleiro sem duvida cuidará de sua Obra...

Que não nos esquecemos que somos pó, que se O espírito não nos unir não teremos propósito, Mas o Oleiro fez o melhor e derramou do melhor sobre nós para que fossemos um.

Que A Água que foi derramada sobre nós e a Cruz de Cristo nos lembrem desse propósito único a cada dia...

Que sejamos homens e mulheres que são o melhor de Deus, vasos nas mãos do Oleiro.

Que o Supremo Oleiro nos ajude nessa tarefa...

13.1.08

Mesmo Assim _ Orkontro de 30 de setembro de 2006!

No capítulo 13 de João me deparei com uma cena; que deveria ser; comum. Jesus lava os pés de seus discípulos.
Essa cerimônia era comum na época de Jesus, já que não havia carros, ônibus, metro, tênis e sapatos confortáveis, existiam apenas as tirinhas (que não eram havaianas) de couro, não existia asfalto ou calçada. As estradas eram muitos irregulares, cheias de pedras, animais peçonhentos e bichos, dado isso, era comum quando uma pessoa chegasse a sua casa, seus pés eram lavados, tratados caso houvesse feridas e era um sinal de hospitalidade e respeito; tal coisa era feita pelo dono da casa, caso esse fosse rico um escravo o faria.
Uma cena comum, mas Jesus não é um comum.
Não é comum, pois os pés eram lavados ANTES das refeições, vemos o Mestre fazer de modo diferente; o texto relata “após cearem”, Jesus inverte a ordem e ele não o faz à toa. Jesus primeiro alimenta seus discípulos, eles passaram o dia todo preparando essa tão esperada refeição, estavam cansados, famintos e Jesus sabia disso. Assim como Adão aguardava para estar com deus no fim do dia, os discípulos aguardavam com grande expectativa essa refeição. Após a refeição, Jesus “tira a túnica, cinge-se com uma toalha e toma um balde com água e começa lavar os pés dos discípulos”. Aqui quero me deter um pouco, Jesus não pede licença, não hesita, simplesmente faz o que precisa ser feito. Não fica questionando a Deus: “Será que devo fazer?” Ele age. Muitas vezes nos encontramos em situações parecidas, mas, exitamos, questionamos, protelamos. Aí aprendemos uma lição. Existem coisas que não precisamos questionar, se devemos ou não fazer, temos talentos, alguns o dom específico dado por Deus como dizem “temos a faca e o queijo na mão”, mas exitamos. Deus quer façamos coisas e temos deixado de fazer.
E o que me chama atenção é que o Jesus faz sem exitar é SERVIR.
Para SERVIR não é necessário orar, é necessário estar disponível, não apenas dispostos. Por exemplo, oramos a Deus e dizemos “senhor, usa-me envia-me a mim”, na mesma noite, Deus nos incomoda a orar por um missionário na China que você nem sabe o nome, aí falamos com Deus “Prometo que assim que levantar de manhã irei orar por ele”. Isso não é disposição e muitas vezes nos encontramos nessa situação.
Servir é fazer como Jesus fez, a toalha e o balde estavam ali o que faltava fazer????
SER exemplo, SERVIR PRIMEIRO. (Quem quer ser o maior no Reino dos céus, seja servo de TODOS).
Outro exemplo, além de Jesus, que o Mestre usa é do samaritano, que não ficou questionando, simplesmente fez o que estava a seu alcance.

Tudo o que vier a ti faze-o conforme tuas forças.

Outro detalhe, que no texto ficou claro foi que nessa ocasião é o fato de Jesus se despir (tirar a túnica) em frente aos discípulos, o judeu não fazia isso, pois a nudes só deveria ser para o seu cônjuge, mas Jesus faz isso, porque SERVIR não é para depois ou para quando “estiver tudo pronto” servir é AGORA.

O fato mais curioso é de quem Jesus lava os pés. Os pés daqueles que dentro muito breve iriam deixa-lo só, um iria nega-lo três vezes antes do galo cantar, enfim, pessoas que não eram com alta de capacidade de suportar stress, ou de conhecimento de quem era seu Mestre, eram homens comuns, sujeitos as mesmas coisas que nós, homens desqualificados aos olhos da sociedade.
Mesmo assim Jesus não se preocupa com o que eles são, mas lhes dá o exemplo e isso deve ter ficado muito claro para eles depois. Que o Senhor está ligado a eles, não as suas falhas, Jesus preocupa-se com as pessoas não com suas atitudes.
Pois todos, sem exceção, o deixaram, mas Jesus fez uma escolha, SERVIR até o fim.

Isso, com certeza, os marcou profundamente, porque os 12 covardes, após a RESSURREIÇÃO serviram até o fim de suas vidas, sem exitar, mesmo diante da morte. Foram grandes servidores em prol do Reino, sua implantação no mundo.

Após lavar os pés dos discípulos: Jesus os questiona, pergunto se haviam entendido o que Ele o que ele havia feito. Com a resposta afirmativa, Jesus lhe dá uma ordem: Façam o mesmo!

Sirva, mesmo que o neguem, mesmo assim SIRVA.
Sirva, mesmo sabendo que morrerás logo, mesmo assim SIRVA.
Sirva, mesmo que não acreditem em você, mesmo assim SIRVA.
Porque para o cristão, SERVIR não é opção, é uma ordem direta de Deus.

O SERVIÇO ao Reino certamente será recompensado, não por homens, mas ao servir teremos a garantia de ouvir naquele grande dia: Servo bom e fiel, entra pro gozo do TEU Senhor.

Que Ele nos ajude na caminhada.