13.4.07

Happy Feet e Eu e você, tudo a ver!




Quando assisti o desenho animado Happy Feet, fiquei impressionado com a qualidade do filme. Inicialmente me chamou muito a atenção os princípios que o filme deseja passar, amizade, amor, perseverança, persistência.

Dias atrás assisti de novo e me deparei com algumas curiosidades, na verdade paralelos, com um personagem bem conhecido: Jesus!

Assim como Jesus, Mano o pingüim dançarino, se parecia com os da “sua espécie”, mas interiormente ele era em diferente (claro que ele não é Deus como Jesus), mas mesmo sedo “diferente”, ele sabia que existia um propósito para o fato de ser diferente, pelo menos ele imagina.

Mano sacrifica-se em busca de respostas, o porque dá falta de peixes, o período de provação (noite longa), ele sabia que existia uma explicação para tudo aquilo, e ele queria a resposta, para isso foi tido como morto pelo seus, porque foi atrás de seu objetivo, pagou um preço alto por isso, ficou enclausurado, longe de todos os seus amigos e de seu amor, mas nele havia algo diferente, MAIOR, e por ter encontrado a resposta, foi posto em liberdade e “volta” a vida e se encontra com os seus, com isso a “escassez” e a “noite longa” findam.

Nessa história vejo muito da história de Cristo, o Cristo das Escrituras.

Ele veio ao mundo, mas o mundo não entendeu seu propósito, porém, ele permaneceu firme, e não era “achar a resposta” para a dor, sofrimento, escassez ou “noite longa”, porque ele era a própria resposta, mas para que a “noite longa” se acabasse foi necessário sua morte, em favor dos da sua espécie, mas assim como Mano, ele volta, mas ele não apenas volta, ELE RESSUSCITA, porque nem a morte tem poder sobre ele, e quando alguém da sua espécie o reconhece como Senhor, na verdade Redentor, a festa, festa nos céus.

Assim como acontece com Jesus e com Mano o pingüim, somos discriminados, caluniados, difamados só pelo fato de sermos diferentes. Porém, nosso propósito não é ser igual a todo mundo, mas fazer a diferença, por onde quer que andemos. Deus nos chamou para algo maior, que façamos diferença na vida de um, ou de uma espécie inteira.

Seja na Antártida ou em Jerusalém, Deus nos chama para sermos assim como ele nos criou, sermos “humanos”.

Sermos a diferença nesse mundo de iguais.

Pois como a Bíblia diz, implantarmos o Reino de Deus, ser Sal e Luz no meio de uma geração corrupta e perversa.

Que sejamos “Mano” e “pequenos Cristos”, que cumpramos com nosso propósito nesse mundo!

Que Ele nos ajude nessa tarefa...

A Deus toda a Glória!

3 comentários:

Sara disse...

Devemos ser a diferença!

Adorei o texto, Rodrigo. Bem escrito e com uma posição muito clara em relação aquilo que nós, cristãos, precisamos ser...

Fica bem!

Se cuida e seja a diferença...

Beijos, beijos!

Éverton Vidal disse...

Olá Rodrigo. Há tempos nao aparecia aqui nao é?

Pois meu irmao... Nao assisti ainda o "Happy Feet", mas depois de sua "indicaçao" vou vê-lo com outros olhos quando for alugar ou comprar um filme.

Belo texto meu irmao...

N'Ele que nos ensina sobre nossa missao usando, às vezes usando a cara de um 'Mano' ou de um 'Aslan'.

abcs.
inté.

Daniel Theodoro disse...

Oi, Rodrigo

Interessante a comparação. Nâo tinha pensado dessa maneira. Vou assistir novamente.

Abraço