1.12.05

Quem chamamos de Senhor?

No último sábado, dia 26/11/05, fui mais uma vez impactado, por alguém que considero muito sensato, no que se refere, a Igreja Brasileira, ou melhor igreja brasileira.

Ariovaldo Ramos falou sobre a realidade da igreja brasileira, e o que mais me impressionou foi o fato de ele dizer que a igreja brasileira possui donos, é chocante e ridículo ao mesmo pensar sobre isso, na perspectiva que aprendemos sobre o que é ser cristão.

Como dizia Lucas, à sua carta a Teófilo, “tinham todas as coisas em comum”, temos conversado sobre isso na comunidade que modero no orkut (Jovens Cristãos) também. Estamos numa igreja, onde impera o EU, o que importa sãos os meus prazeres.
O meu Senhor, são os meus prazeres, o meu Senhor é o Já, o Agora, é o famoso jargão, porque deixar para depois se posso agora, isso funciona invariavelmente a igreja HOJE.

O quadro que foi colocado, foi aparentemente pessimista, muitos creio eu saíram com essa impressão.

Mas particularmente, vejo uma grande oportunidade, para nõs cristãos que queremos fazer a diferença. Que não estamos contentes com o estado atual da Igreja, onde Deus está “enlatado”, em 40 dias disso, 12 passos pra..., sexta-feira forte e outras bizarrices do “mundo gospel”.

Vejo essa oportunidade, para a Pregação do Evangelho simples, como disse o Ari, as Boas Noticias do Reino, é uma Excelente Noticia, Aliás, a ÚNICA boa notícia no mundo de hoje, o único que nos livra do Inferno nasceu, morreu... e ao terceiro dia RESSUSCITOU. Devemos ter coragem para mostrar que o que está aí é balela, como diria C.S. Lewis, “cristianismo água com açúcar”, devemos anunciar o Evangelho, devemos anunciar que Jesus é Senhor e que com Jesus Temos Paz...

Devemos ser cristãos e não falarmos que somos, devemos ser reconhecidos pelo mundo que somos cristãos, como aconteceu em Antioquia (que foi usado com o fim de zomabar, e não elogiar). Devemos ser bereanos, acompanhar a exposição bíblica conferindo na Palavra.

Devemos ser conhecidos por sermos fiéis ao texto bíblico e não a denominação A, B , C ou U. Devemos ser como Paulo.

Nossa esperança não está no já, não está no dinheiro, não está num casamento ou no emprego, ou carro.

A nossa ÚNICA Esperança é o Cristo Ressurreto. E é Ele que devemos anunciar no país do caos que é o Brasil, para que Deus faça mudança, para que pelo menos nossos netos vejam alguma mudança.

“ O viver é Cristo, o morrer é Lucro”.

Um comentário:

**kel** docinho de pimenta disse...

Pois é... Jesus e seu sacrifício vêm sendo duramente banalizados pela mídia "gospel", onde tudo é aceito em nome de igrejas cheias e ofertas gordas...
Sabe que outro dia eu ouvi o nome dEle sendo proferido numa música da Tati Quebra Barraco? Fikei triste e indignada... e acho que um pouco é culpa nossa (generalizando) por estarmos pregando um Evangelho tão "agua com açucar"!
Que Ele tenha misericórdia de nós quando voltar...